Conteudo Principal
Qualidade da Água

1. ÁGUA DA EPAL

A EPAL orgulha-se de levar a sua casa, todos os dias, água de qualidade!

A qualidade da água fornecida pela EPAL é garantida pela qualidade das origens (superficial e subterrânea), pelos diversos processos de tratamento a que a água captada é submetida e também através do controlo da qualidade da água efetuado ao longo de todo o sistema de abastecimento até à torneira do Cliente.

Este controlo é efectuado através de equipamento de monitorização em contínuo instalado em pontos estratégicos do sistema de abastecimento, bem como através de análises laboratoriais realizadas por técnicos qualificados e tecnologia avançada.

A EPAL efetua anualmente mais de 200 mil análises no controlo da qualidade da água, evidenciando 99,9% de conformidade com os parâmetros legais nacionais e europeus. Realiza ainda um número de análises superior ao estipulado e controla outros parâmetros não obrigatórios, visando garantir ao máximo a qualidade da água fornecida.

Todavia, a qualidade da água colocada à disposição do Cliente na entrada do prédio pode sofrer alteração devido à falta de manutenção da rede predial e doméstica, sobretudo se tratar de canalização antiga ou de ferro fundido.

2. ÁGUA DA EPAL - TRATAMENTO E CONTROLO

Beba água da EPAL… é de confiança!

A EPAL fornece água a cerca de três milhões de pessoas. É responsável pela distribuição na Cidade de Lisboa, com cerca de 350 mil clientes, e ainda a 34 Municípios, assegurando a todos o abastecimento de uma água de qualidade.

A qualidade da água fornecida pela EPAL é garantida pelos processos de tratamento a que a água captada é submetida e pelo controlo efetuado ao longo de todo o sistema de abastecimento, desde as origens até à torneira do cliente.

Tratamento da Água
Para garantir a qualidade da água até à torneira do cliente, a EPAL recorre a tecnologias de tratamento adequadas às características da água captada e efetua a monitorização contínua da qualidade da água ao longo do sistema de abastecimento.

A água captada na albufeira de Castelo do Bode, tratada na ETA da Asseiceira, passa pelas seguintes fases de tratamento: pré-oxidação com cloro gasoso, remineralização e correção de agressividade, coagulação, flotação, ozonização, filtração, correção de pH e desinfeção final.

Fases de tratamento: no caso da água captada em Valada Tejo, o tratamento é efetuado na ETA de Vale da Pedra e inclui as seguintes fases: pré-oxidação com cloro gasoso, coagulação//floculação, decantação, filtração, correção de pH e desinfeção final.


  • Pré-oxidação com cloro gasoso | Injeção de cloro para reduzir a quantidade de matéria orgânica presente na água captada
  • Remineralização e correção de agressividade | Visam corrigir o caráter excessivamente doce da água, criando-se uma fina camada de calcário protetora da corrosão do interior de tubagens de água
  • Coagulação/Floculação | Processo químico que tem como objetivo a agregação de partículas em suspensão levando à formação de flocos com dimensões adequadas para a fase de decantação ou flotação
  • Decantação | Após a coagulação/floculação, os flocos de maior dimensão depositam-se no fundo de tanques de decantação eliminando-se, assim, a maioria das partículas em suspensão. A água decantada segue para a filtração
  • Flotação | Nesta fase do tratamento os flocos de menor dimensão agregam-se com microbolhas de ar que facilitam a sua elevação e posterior remoção
  • Ozonização | O ozono é um forte agente oxidante e é utilizado para a eliminação de algas e outra matéria orgânica, possuindo propriedades antissépticas e bactericidas, com aplicação importante ao nível do tratamento da água
  • Filtração | A água passa através de filtros, de areia ou areia e antracite, nos quais ficam retidas as partículas mais pequenas, sendo possível removê-las da água. A filtração clarifica a água e aumenta a eficácia da desinfeção
  • Correção do pH | Nesta fase procede-se ao ajuste do pH garantindo que este parâmetro se mantém no intervalo de valores definidos na legislação
  • Desinfeção final | Para assegurar que não se desenvolvem micro-organismos é adicionado cloro, mantendo-se um teor residual que garanta a qualidade da água ao longo da rede de transporte e distribuição até à torneira do cliente
Controlo da Qualidade da Água
A EPAL analisa e controla diariamente a qualidade da água captada, transportada e fornecida. Este controlo é efetuado através de equipamentos de monitorização em contínuo instalados em pontos estratégicos do sistema e através de análises laboratoriais realizadas por técnicos qualificados e tecnologia avançada.

Anualmente, a EPAL realiza milhares de análises em todo o sistema de abastecimento, traduzindo um número de análises superior ao estipulado na legislação.

No âmbito do controlo da qualidade da água, as análises efetuadas nas torneiras dos consumidores da cidade de Lisboa evidenciam mais de 99,5% de conformidade com os parâmetros legais definidos no Decreto-Lei nº 306/2007,de 27 de agosto.

O controlo da qualidade da água efetuado no sistema de abastecimento da EPAL integra as seguintes componentes:
  • Controlo em contínuo de parâmetros de qualidade da água (ex. cloro, pH, dureza total, alumínio, turvação, condutividade, alcalinidade), efetuado nas estações de tratamento e em outros locais estratégicos situados ao longo do sistema de abastecimento, consistindo num processo de informação em tempo real que permite uma atuação imediata em situações anómalas
  • Plano de Controlo da Qualidade da Água (PCQA) no sistema de abastecimento que integra os seguintes tipos de controlo:
  • Controlo da qualidade da água nas origens para avaliar a evolução da qualidade da água ao longo do seu sistema de captação, tratamento, transporte e abastecimento
  • Controlo da eficiência de tratamento nas diversas operações efetuadas na ETA de Vale da Pedra e na ETA da Asseiceira
  • Controlo legal realizado em cumprimento dos requisitos legais definidos no Decreto-Lei nº 306/2007, de 27 de agosto, que inclui a realização de colheitas de amostras de água para análise nos pontos de entrega aos Municípios abastecidos pela EPAL e nas torneiras de clientes da cidade de Lisboa
  • Controlo Operacional/vigilância destinado a verificar o nível de qualidade da água ao longo do sistema de abastecimento e a detetar atempadamente possíveis anomalias, permitindo atuar preventivamente
  • Controlo complementar da qualidade da água, realizado no tratamento de reclamações, no controlo da eficácia de operações de lavagem e desinfeção de condutas e reservatórios, no tratamento de incumprimentos legais e no controlo de parâmetros de qualidade da água que não obrigatórios pela legislação nacional
Laboratórios da Empresa
Para analisar e controlar a qualidade da água, a EPAL dispõe laboratórios acreditados segundo a norma NP ENISO/IEC 17025 para o processo de amostragem e para os ensaios da qualidade da água:
  • Laboratório Central, acreditado desde 1999
  • Laboratório de Vale da Pedra, acreditado em 2008
Os resultados das análises laboratoriais realizadas pela EPAL no cumprimento da legislação em vigor estão disponíveis em Divulgação de dados da Qualidade da Água.

Origens da Água
A água captada é de origem superficial e subterrânea:
  • Captações Superficiais:
    • Rio Zêzere | Albufeira de Castelo do Bode
    • Rio Tejo | Valada Tejo
  • Captações Subeterrâneas:
    • Alenquer, Lezírias e Ota
Na natureza, a água pode parecer limpa mas contém impurezas, pelo que toda a água captada necessita de ser tratada antes de ser distribuída. Para tal, a EPAL dispõe de duas estações de tratamento de água (ETA), onde é tratada a água captada na albufeira de Castelo do Bode e em Valada Tejo.

A capacidade de produção do Sistema EPAL situa-se na ordem de 1.000.000 m/dia de água para consumo humano.

3. ÁGUA DA EPAL - BEBA ÁGUA COM MAIS SATISFAÇÃO

A água pode apresentar ocasionalmente sabor e cheiro, devido a diversos factores como sejam a presença de cloro usado na desinfecção da água (Decreto-Lei nº 306/2007) e a deficiente manutenção das redes prediais e canalizações domiciliárias, incluindo torneiras.

O sabor da água depende também da sua composição em sais (como por ex. de cálcio e magnésio). Para melhorar o sabor e o cheiro da água apresentamos algumas dicas muito simples e que contribuem certamente para beber com mais satisfação.

Dicas
  • No tempo quente a água pode aumentar a sua temperatura no caso das redes de distribuição ou prediais estarem expostas ao calor. Antes de beber, deixe correr um pouco para refrescar a água
  • Quanto mais fresca a água estiver melhor sabe. Manter a água no frigorífico, de preferência num recipiente tapado, ajuda a melhorar o sabor e a sensação de frescura
  • As garrafas e recipientes utilizados para servir água (jarros, termos, etc.) devem ser lavados frequentemente, podendo usar-se um pouco de vinagre ou sal. Em seguida enxagúe bem
  • Mude regularmente a água dos cubos de gelo. Se permanecerem muito tempo sem utilização é preferível eliminá-los porque adquirem os sabores dos alimentos armazenados no congelador
  • Não utilize água quente da torneira para fazer chá ou café. É preferível ferver a água fria para estas utilizações eliminando o sabor desagradável do cloro
  • Nos frigoríficos com depósito de água e fabrico de gelo o circuito de água exige cuidados especiais devendo ser lavado frequentemente
  • Após ausência prolongada (ex. férias) deixe a água correr um pouco antes de a utilizar para beber ou cozinhar

Dicas para beber mais água

  • Beba água diariamente e várias vezes ao dia
  • Mantenha um jarro ou outro recipiente com água fresca perto de si durante o dia, por exemplo, à entrada da cozinha e ao lado da televisão
  • De manhã, antes de se levantar, beba água para ajudara estabilizar a pressão arterial e, assim, prevenir tonturas matinais
  • À noite, mantenha um jarro na mesa-de-cabeceira e lembre-se de beber água antes de adormecer
  • Leve sempre um recipiente com água quando sair de casa ou for dar um passeio
  • Ingira água antes, durante e após a atividade física para ajudar a manter os níveis de energia
  • Mantenha um recipiente com água da torneira no frigorífico pois a baixa temperatura ajuda a neutralizar o cheiro ou sabor a cloro
  • Adicione uma rodela de limão ou uma folha de hortelã para beber com mais satisfação
  • Se necessário, marque no despertador um horário para beber água
A água é o ingrediente principal de todas as bebidas, mas beber água da torneira é a forma mais eficaz e acessível.



Subscreva a Newsletter "Água na Rede"

Tem de escolher a Newsletter que pretende subscrever
Clique aqui para mais EPAL
Clique aqui para esconder MENU